Postado em 18 de setembro de 2017

Muito ronco e pouco sono? Cuidado com a apneia



Passar horas e horas se debruçando de um lado para o outro da cama. Olhos cansados, corpo pesando, vontade de dormir. Mas por que será que o sono não vem? Parece que são muitos os problemas que não têm deixado as pessoas dormirem. Estudos recentes do Instituto do Sono, apontam que cerca de 63% dos brasileiros têm algum problema na hora de dormir como insônia, ronco e a tão falada apneia do sono. Precisamos nos atentar, pois, nosso sono deve ser levado a sério. O sono é muito importante para a nossa saúde, principalmente, por ser regenerativo ao corpo humano. Passar noites acordadas não é uma opção saudável. É preciso dormir bem para acordar ainda melhor.

De olhos abertos: 40% da população brasileira apresenta apneia do sono

Se o seu parceiro (a) está cansado ou incomodado com seu ronco, chegou o momento de parar e refletir. Muito além de ser somente um incômodo por causa do barulho, a apneia do sono, é um problema grave. Pesquisas demonstram que 40% da população brasileira é portadora da apneia e, muitas das vezes, nem sabe. Na definição, a apneia significa parada respiratória, ou seja, o indivíduo sofre breves interrupções na respiração enquanto dorme. Na prática, isso representa que essa pessoa deixa de respirar por alguns segundos.

Para o gerente geral e fisioterapeuta da Santa Catarina, Oberdan Araújo, é muito importante entender os motivos de não estar conseguindo dormir. “Principalmente porque essa patologia pode estar sendo associada a diversos sintomas, isso significa que muitos pacientes podem estar fazendo um tratamento que ataca o sintoma, mas não atinge a causa. Ou seja, passam anos sem solução. Distúrbio do sono, não é brincadeira. Precisa de tratamento porque pode desencadear outros problemas como doenças cardíacas, por exemplo”, explica.

Como descobrir se tem apneia? Fique de olhos atentos nos sintomas

A maioria das pessoas que têm apneia do sono não conseguem identificar. Às vezes, passam meses e até anos sem descobrir o distúrbio. Porém, alguns sinais podem ajudar a criar um diagnóstico. Entre os principais sintomas, pode-se destacar:

– Ronco alto;
– Despertar no meio do sono de forma brusca e com falta de ar;
– Acordar com a boca seca;
– Dor de cabeça constante pela parte da manhã;
– Sono muito agitado;
– Déficit de atenção;
– Irritabilidade;
– Fadiga crônica;
– Perda de memória;
– Entre outros.

Examinando o seu sono: faça um exame de polissonografia

O exame de polissonografia é responsável por registrar ondas cerebrais, frequência cardíaca e respiratória, nível de oxigênio no sangue, além dos movimentos dos olhos e pernas. Neste teste realizado enquanto você dorme, também é monitorado os níveis de oxigênio do seu sangue.

Descobri que tenho apneia: como faço para tratar?

O objetivo principal deste tratamento é manter as vias respiratórias abertas para que a respiração não sofra nenhum tipo de interferência durante o sono. Alguns casos classificados como leves, podem ser solucionados com a utilização de aparelhos odontológicos. Utilizado durante a noite mantém a mandíbula posicionada para frente e impede o bloqueio das vias aéreas. Já em casos mais sérios, recomenda-se usar o CPAP, que é um equipamento capaz de produzir uma pressão constante de ar que atravessa as vias respiratórias, mantendo-as abertas.

Share on FacebookShare on Google+Pin on PinterestTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

2019 SANTA CATARINA - Desenvolvimento Agência Desenvolvido por Agência Insane ®